(11) 2093-8721 / 2094-6168 / 2093-4102 / 2296-2101kitest@kitest.com.br
Informações de contato
(11) 2093-8721 / 2094-6168 / 2093-4102 / 2296-2101kitest@kitest.com.br

KA-080 Testando o pedal do acelerador eletrônico

Pedal do acelerador eletrônico:

O pedal do acelerador eletrônico tem por finalidade informar ao módulo o quanto o pedal foi pressionado, indicando se o motorista deseja acelerar ou desacelerar o veículo.

O pedal do acelerador eletrônico tem por finalidade informar ao módulo o quanto o pedal foi pressionado, indicando se o motorista deseja acelerar o desacelerar o veículo.

Basicamente é constituído por um pedal, que possui duas pistas que informam seu posicionamento, tendo como resposta um valor de tensão.

As duas pistas são diretamente proporcionais, ou seja, quanto mais o pedal é pressionado, maior será o valor de tensão nas pistas. Existe uma relação entre os valores das duas pistas, onde a pista 1 tem que ter um valor de tensão igual a duas vezes a pista 2, ou seja, se a pista 1 estiver em 2,00V, a pista 2 deve ter 1,00V. (Pista1=2*Pista2).

Observação: a  maioria dos pedais existentes no mercado trabalham com essa relação de sincronismo descrito acima, mas pode existir alguns modelos que tenham suas próprias características diferentes do descrito acima.

Resumo do teste:

Neste teste iremos verificar o valor de tensão das pistas, nas condições de pedal em repouso e em aceleração máxima (ou seja, os valores máximos e mínimos das pistas) testando as pistas de forma a identificar possíveis ruídos em todo o seu curso.

No teste verificaremos também o sincronismo das pistas, onde a pista 1 tem que ter um valor igual ao dobro da pista 2, testando este sincronismo em toda a faixa de trabalho do pedal.

Passo a passo para testar o pedal do acelerador eletrônico.

Passo 1: Ligando a equipamento e testando a pista 1.

Explicando o funcionamento da tela 1:

Linha 2: Função Máximo.

O valor a esquerda de MAX: indica o máximo valor de tensão que a pista 1 alcançou durante o teste.

O valor a direita de MAX: indica o máximo valor de tensão que a pista 1 alcançou nos últimos 2 segundos.

Linha 3: Valor da Pista 1 (Pista 1: 0.97V).

É o valor da pista 1 onde o pedal está posicionado nesse momento.

Linha 4: Função Mínimo:

O valor a esquerda de MIN: indica o mínimo valor de tensão que a pista 1 alcançou durante o teste.

O valor a direita de MIN: indica o mínimo valor que a tensão da pista 1 alcançou nos últimos 2 segundos.

Nota:

Nessa tela, o ideal é testar o funcionamento da pista em toda a sua faixa de trabalho, começando com o valor mínimo (pedal em repouso), e aumente esse valor lentamente até o acelerador estar totalmente pressionado, atentando-se no sinal sonoro, pois se o nível de ruído estiver elevado, um bipe será disparado, e se você verificar a tela de ruído (tela que será explicada adiante), irá ver a palavra falha e o valor do maior nível de ruído medido durante o teste.

Explicando a tela 2:

Esta tela testa o sincronismos das pistas, ou seja, em qualquer posição do pedal, a pista 1 deve ter um valor duas vezes maior que a pista 2.

Linha 2: Posição da borboleta tomando como referência a pista 1.

Linha 3: Posição da borboleta tomando como referência a pista 2.

Linha 4 (P1 / P2= 2.063): Esse valor indica o quanto a pista 1 é maior que a pista 2, no caso 2,063 vezes maior, neste teste, o valor deve ser próximo a 2,000.

 

 

Explicando a tela 3 de nível de ruído:

Linha 2: Valor da posição do pedal, tomando como referência a pista 1.

Linha 4: O valor a esquerda da palavra MAX: indica o maior valor do nível de ruído indicado durante o teste, e o valor a direita da palavra MAX: indica o maior valor do nível de ruído nos últimos 2 segundos. Para resetar os valores do nível de ruído, tecle direita (>) ou esquerda (<).

Nos procedimentos abaixo, iremos demonstras quatro situações:

– Medindo o valor mínimo da pista 1, com o pedal em repouso.

– Medindo o valor máximo da pista 1, com o pedal totalmente pressionado.

– Analisando o sincronismo das pistas em toda a faixa de trabalho do pedal.

– Analisando o nível de ruído em toda a faixa de trabalho da pista 1.

 

Medindo o valor mínimo da pista 1, com o pedal em repouso:

Para este teste, selecione a tela 1.

 

Medindo o valor máximo da pista 1, com o pedal totalmente pressionado:

Para este teste, selecione a tela 1.

 

Analisando o sincronismo das pistas em toda a faixa de trabalho do pedal:

Para este teste, selecione a tela 2.

Verifique o sincronismo das pistas em toda a sua faixa de trabalho, ou seja, deixe o pedal em repouso e vá pressionando lentamente até a aceleração máxima, sempre verificando o valor de P1/P2, lembrando que esse valor deve se manter próximo a 2,000.

Caso em algum ponto o valor não seja próximo a 2, isto indica que há algum problema com o pedal em teste.

Observação: não pressione o pedal ou o solte de uma forma muito brusca, pois isso poderá ocasionar um nível de ruído elevado, comprometendo o teste que está sendo efetuado.

 

Analisando o nível de ruído em toda a faixa de trabalho da pista 1:

Para este teste, selecione a Tela 3.

Verifique o nível de ruído da pista em toda a sua faixa de trabalho, ou seja, deixe o pedal em repouso e vá pressionando lentamente até a aceleração máxima, sempre verificando o nível de ruído, pois se ele estiver elevado em algum ponto da pista, indica que há alguma falha neste ponto.

É muito importante repetir os quatro últimos testes na pista 2:

– Medindo o valor mínimo da pista 2, com o pedal em repouso.

– Medindo o valor máximo da pista 2, com o pedal totalmente pressionado.

– Analisando o sincronismo das pistas em toda a faixa de trabalho do pedal.

– Analisando o nível de ruído em toda a faixa de trabalho da pista 2.

A única diferença dos testes acima é que estamos tomando como referência a pista 2, para isso cancele o teste, e selecione a pista 2.

Esse procedimento se torna necessário, pois você só testa o nível de ruído da pista 2 se ela estiver selecionada.

Menu